x

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Cuidados com fraudes em e-commerces

By
A invasão de dados de internautas, reconhecimento de métodos de pagamento e diferentes outros crimes causam medo em consumidores que costumam realizar suas compras pela internet, com novas estratégias que surgem constantemente para a obtenção de informações pessoais que possam ser utilizadas para cometer fraudes.

O roubo de dados relacionados é o crime mais comum, permitindo que as lojas virtuais possam buscar alternativas tecnológicas para evitar esse tipo de acesso e facilidade dos criminosos para acessar plataformas e programas. Porém, além desse crime, vários outros são cometidos constantemente, gerando a necessidade de atualização para combater as principais fraudes em e-commerces de acordo com as tendências.

Invasão de contas


Crimes de invasão de contas ganhou uma grande proporção nos últimos anos, sendo caracterizado com o roubo de dados por meio de phishing ou até mesmo vazamento dessas informações por algum motivo ou brecha no sistema, além do próprio descuido da vítima com a inserção desses dados em sites diversos e não autorizados ou protegidos.
Dependendo da forma conquistada pelo criminoso, o mesmo poderá rapidamente acessar o login da vítima sem tentativas de combinações ou mudanças de senha, o que torna mais difícil a identificação da plataforma e permite que o mesmo possa realizar transações normalmente passando-se por outro usuário sem desconfianças ou barreiras no sistema.

Uso de tokens


A recorrência de tokens para confirmar qualquer transação ou até mesmo adentrar em plataformas tornou-se cada vez mais comum, fazendo com que muitas empresas e marcas passassem a apostar nesse método para maior segurança do usuário, principalmente as instituições financeiras que vêm tornando-se cada vez mais adeptas à essa tecnologia.

O desenvolvimento de tokens por lojas diversas e até mesmo a integração com aplicativos para o uso de dois fatores de reconhecimento, criando uma camada adicional de segurança para o usuário, evitando a inserção de uma senha e substituindo-a pela leitura do código.
Foto reprodução: http://www.doutorecommerce.com.br/

Ainda que os tokens tenham surgido com uma bela intenção de segurança redobrada e interligação de dispositivos, por exemplo, os criminosos também estão encontrando formas de driblar esse tipo de recurso, assim como uma plataforma de gerador de cartões, que insere diversas combinações até conseguir encontrar um número válido para conseguir usufruir.

O uso de tokens também pode ser ameaçado por conta do crime SIM swap que permite a troca de chip, ou seja, o criminoso assume o controle do número de telefone de um indivíduo e pode praticar golpes como a solicitação de transações financeiras e até mesmo conversar via whatsapp com os contatos salvos.

Protocolo 3DS2.0


O carregamento de uma página externa no momento da conclusão de uma compra também é bastante comum em e-commerces e pode fazer com que o usuário seja encaminhado para um destino sem a proteção necessária.

Para evitar essas fraudes e até mesmo facilitar para que a loja virtual efetue mais vendas, o protocolo 3DS2.0 mostra-se uma grande tendência, eliminando o direcionamento do consumidor para uma página externa do site da compra.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Dúvidas