x

sábado, 23 de abril de 2022

Shopee: Correios recusou etiqueta PAC que deveria ser Sedex. O que fazer?

By With Nenhum comentário:

Hoje iremos trazer uma situação que muitos vendedores têm passado com a Shopee com relação a etiquetas de postagem. Quando o sistema imprime a etiqueta, ela vem como PAC. Até aí tudo bem. Só que quando o mesmo comparece até a agência dos Correios para postagem da encomenda, os Correios não aceitam, sendo que, a etiqueta deveria ser Sedex e acaba sendo PAC. O que fazer esse casos?


A primeira coisa que você deverá fazer é entrar em contato com a Shopee e pedir a troca da etiqueta. Entre em contato pelo e-mail de suporte, enviando a mensagem do e-mail que você tem cadastro na Shopee. Assim é possível que eles reconheçam seus dados de forma automática. O endereço eletrônico é ajuda@suporte.shopee.com.br.


Após envio do chamado, eles irão lhe solicitar que você envie a etiqueta que gerou o problema, juntamente com o CEP e o endereço da agência dos Correios que costuma postar suas encomendas.


Eles irão fazer a mudança logística e emitirão uma etiqueta via Sedex, corrigida, que será enviada para você.



Geralmente, o prazo que eles dão para resolução é entre 48 a 72 horas, mas devido a demanda, esse prazo pode ser maior.


Daí vem à pergunta: E se não der tempo da modificação da etiqueta, uma vez que o prazo de postagem é de até 3 dias úteis?


Bom, nesse caso você deve entrar em contato com o cliente, informar o ocorrido e pedir para que o mesmo faça o uso da Extensão Garantia Shopee, que permite que mais três dias de prazo, além dos três dias úteis para a postagem da encomenda.


A minha recomendação é que você fique em cima do suporte, porque no meu caso, acabaram me "deixando na mão", não resolvendo meu problema. A compra havia sido cancelada pelo sistema e ainda sofri penalização por descumprimento do prazo de entrega. 


Segue abaixo um vídeo que postamos em nosso canal, onde falamos sobre esse procedimento. Assista:



Gostou desse artigo? Deixe seu comentário!

sexta-feira, 25 de março de 2022

Luciano Hang e empresários pedem restrição da Shopee , AliExpress e outros marketplaces no Brasil

By With Nenhum comentário:

Luciano Hang e outros empresários levaram ao alto escalão do governo, denúncias contra marketplaces que fazem importação de produtos para pessoas físicas, como é o caso da Shopee, AliExpress, Mercado Livre, Wish e Shein. As informações foram postadas pelo jornal Estadão no dia 23/03/2022.


O documento foi nomeado "Contrabando Digital", e reuniu indícios de que as plataformas estão fazendo operações ilegais através de “cross border” – prática comercial entre agentes de diferentes países.


A apresentação foi assinada pelo Luciano Hang, dono da Havan,  por Alexandre Ostrowiecki, CEO da Multilaser e outros nomes de varejistas que trazem materiais chineses.

Foto reprodução: Pixabay


O assunto chegou até à Procuradoria Geral da República por "concorrência desleal", diz os empresários. A apresentação foi assistida pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da economia Paulo Guedes.


O material obtido pelo Estadão descreve a “construção de engenharia de como burlar a Receita”. O grupo pede que os consumidores sejam cobrados pelo governo no momento da compra, e não quando o produto importado passa pela Receita Federal e entra no Brasil.


Segundo o grupo, as empresa citadas praticam subfaturamento de notas fiscais e fazem a re-etiquetação  na Suécia, fazendo com que sejam taxados apenas 2% das compras.


Os marketplaces citados disseram que se preocupam com a legislação dos países onde operam e se preocupam com contrabando e pirataria.


Fonte: https://economia.ig.com.br/2022-03-23/hang-aliexpress-wish-proibir.html




quinta-feira, 17 de março de 2022

Pandemia acelera aderência de idosos aos e-commerces

By With Nenhum comentário:

A incidência do Coronavírus mudou o hábito de muitos consumidores, inclusive do público mais sênior. A adesão ao comércio eletrônico dos idosos tornou-se mais comum. O que ainda era um motivo de resistência de muitos nesta faixa etária, tornou-se uma necessidade para manter a saúde e segurança com o consumo de itens sem sair de casa.


A presença dos idosos na internet têm sido cada vez mais frequente e, devido à pandemia, a entrada em e-commerces também tornou-se mais comum, hábito este que estima-se que irá perdurar mesmo após a reabertura e normalização dos comércios físicos.


Conforme pesquisas realizadas, cerca de 50% do público chamado de baby boomer, com idades entre 55 a 73 anos, já utiliza mais os e-commerces que as próprias lojas físicas para aquisição de seus produtos, enquanto 48% destes adeptos usufruem de serviços de delivery de comida ou para encomenda e retirada no local. Destes adeptos, 44% também prefere realizar as compras tradicionais de supermercado por meio de lojas virtuais e aplicativos e não mais comparecer ao local físico para manter sua integridade e saúde.



A forte presença dos idosos na internet abre uma grande oportunidade de mercado para diversas empresas, tanto para as que já comercializam itens que são destinados à esse público, permitindo migrar para a plataforma virtual, além de empreendedores que podem encontrar boas oportunidades de investimento para esse nicho, com estratégias que permitam atender as necessidades e desejos desses usuários que estão em busca de mercadorias que possam satisfazê-los em diversos sentidos.


Pensar em ações de marketing para atingir idosos que já estejam na internet e comprando ativamente é necessário para que as empresas de segmentos que atendam o público possam garantir novos clientes adeptos à tecnologia e expandir suas possibilidades.


Na área mais visada pelos idosos atualmente, a alimentícia, a criação de abas específicas para esse público, preparações que atendam seu paladar e até mesmo formas mais facilitadas de pagamento que estejam dentro das comumente utilizadas pela faixa etária são bem aceitas para garantir satisfação e qualidade à esses consumidores.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

Dolado é seguro? É confiável? Confira tudo nesse post

By With Nenhum comentário:
A alguns meses atrás, me deparei com uma propaganda no Facebook sobre a Dolado. Me interessei pela empresa e entrei em contato pelo próprio Facebook. O atendimento foi muito rápido.

Então, resolvi realizar uma compra de acessórios para celular para minha loja física. E não é que chegou tudo conforme prometido.

A Dolado é um fornecedor de acessórios para celular. Existem muitos diferenciais que vamos abordar mais para frente, mas é uma ótima empresa para você comprar seus produtos para revenda.

A Dolado emite nota fiscal?


Sim! Quando recebi meus produtos, enviaram com nota fiscal, tudo certinho.

Produtos


Os produtos que a empresa trabalha são de ótima qualidade, originais e de marcas conhecidas no mercado. 

Os preços que você encontra no site são bem competitivos, conseguindo assim, uma ótima margem de lucro para revenda.


Qual o mínimo para compras?


Esse é um diferencial da empresa. Se você trabalha com vendas esporádicas, e precisa repor seu estoque, apenas com algumas peças, a Dolado oferece um mínimo para compras, que é de R$ 350.

Você não precisa se preocupar em ter que comprar muitos produtos, para atingir o mínimo de compra.




Quais as formas de pagamento na Dolado?


O fornecedor oferece como forma de pagamento PÍX, boleto ou cartão de crédito. No caso do cartão de crédito, você pode parcelar sua compra em até 3 vezes sem juros. Não é fantástico?

Há opção de boleto para 15 dias com limite de até R$1000 sujeito a analise com vendedor

Com PIX ou pagamento à vista, a Dolado oferece 10% de desconto em sua primeira compra. Clique aqui adquirir seu desconto agora mesmo.



Entrega


A empresa trabalha com postagens via Correios. Para o estado de São Paulo, a Dolado costuma oferece frete grátis em algumas ocasiões, ou seja, é mais economia para quem compra.

O envio dos seus produtos ocorre em até 3 dias úteis, isto é, de segunda a sexta, exceto feriados. O dia útil sempre começa a contar no dia seguinte à finalização do seu pedido.

Ao fazer a postagem, você receberá um e-mail contendo informações sobre o código de rastreio, que poderá ser rastreado no site dos correios.

Atendimento


A Dolado possui um ótimo atendimento. A central de atendimento funciona de segunda à sábado, das segunda à sábado, das 08h às 20h. Caso envie uma mensagem fora do expediente, eles irão responder no próximo dia útil.

Outro fator que chama atenção, é que eles colocam funcionários disponíveis para atender sua demanda, caso você tenha tido algum tipo de problema. Também costumam enviar cupons de descontos e sempre entram em contato perguntando se estamos precisamos de alguma coisa, ou repor algum produto em específico.


Está esperando o que para fazer seu pedido? Clique aqui para comprar agora mesmo.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

Como colocar o AR (Aviso de Recebimento) no envelope?

By With Nenhum comentário:

O Aviso de Recebimento(AR), é um documento que permite à você comprovar que um produto foi entregue. Ao entregar o produto, o carteiro colhe a assinatura da pessoa que recebeu o produto e os dados pessoais. Depois, esse comprovante é devolvido para o endereço colocado no documento, sendo que, geralmente volta para a mão do remetente.


Uma dúvida comum entre os clientes dos correios é como colocar o Aviso de recebimento no envelope. É muito simples.


Você pode colocar na parte de cima, ao colocar os dados do destinatário logo abaixo do AR, ou você pode anexar o documento na parte da frente do envelope, onde vão os dados do remetente.


Se o envelope for pequeno, os funcionários dos correios costumam dobrar o AR e colocar na carta, seja na parte da frente ou na parte de trás, sempre deixando destacado os dados de entrega do remetente e destinatário.


Deixamos abaixo um vídeo que gravamos em nosso canal, onde falamos sobre esse procedimento. Assista:


Gostou desse artigo? Deixe seu comentário!

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Lojas do Brás e Bom Retiro em São Paulo podem virar marketplace

By With Nenhum comentário:

Um dos lugares mais famosos de São Paulo em questão de comércios diversos, principalmente do segmento de moda, incluindo roupas e acessórios, irá adentrar na onda das tendências tecnológicas.


Com a aposta de diversas lojas físicas em e-commerces, os lojistas do Brás e Bom Retiro, dois centros comerciais, estão unindo-se para a criação de seu próprio marketplace, permitindo ganhar presença nas mídias e agregar um novo método de vendas para atingir ainda mais clientes, principalmente com o isolamento social que ainda é praticado em muitas casas, garantindo a compra e recebimento de produtos de maneira segura.

Foto reprodução: https://www.ecommercebrasil.com.br/


A ideia surgiu realmente devido à pandemia, quando muitos comércios da região tiveram que fechar suas portas sem nenhum outro ponto de vendas ou método de comercialização das mercadorias, criando uma decadência da região e o fechamento de muitas empresas devido à falta de orçamento para manter as atividades. Devido às más experiências, lojistas da região planejam a abertura de um comércio online para disponibilização das mercadorias.


Expectativa para a abertura de marketplace


O intuito com a abertura do marketplace próprio dos lojistas do Brás e Bom Retiro é atingir a mesma lucratividade antes da pandemia, permitindo elevar as vendas e garantir as vendas de uma maneira mais segura para o comerciante e para o comprador, além de evitar que haja concorrência com outros marketplaces já existentes, podendo criar um e-commerce apenas para os lojistas da região.


Ainda não há uma previsão ou nomenclatura que foi adotada para o lançamento da loja virtual abrigando todas as marcas e empresas da região, porém a ideia da Okta, Overseas Korean Traders Association, juntamente com o Consulado Geral da República da Coreia do Sul e da Abiv, Associação Brasileira da Indústria do Vestuário, já está formada para auxiliar todos os comerciantes dos bairros que representam uma das maiores lucratividades do comércio de São Paulo.


Ainda que muitos lojistas da região tenham aberto seus próprios e-commerces, mesmo antes da pandemia, a ideia é abrigar todas as mercadorias comercializadas na região em um só local, podendo também estes participarem do marketplace, sem a necessidade de que os mesmos encerrem estas atividades a parte, tornando-se mais uma opção de venda para estes empresários e também de compra para todos os clientes que desejam conferir as principais novidades, usufruir de preços acessíveis e garantir suas compras.


quarta-feira, 7 de abril de 2021

5 erros básicos que prejudicam experiência do consumidor no Ecommerce

By With Nenhum comentário:

O consumidor é o centro das atenções de qualquer negócio. Satisfazê-lo deve ser uma das prioridades de uma empresa e isso não é diferente para os e-commerces. Como os clientes são os responsáveis por manter uma empresa em funcionamento e disponibilizar os insumos e lucros, é ideal que os mesmos possuam uma boa experiência ao realizar compras na loja virtual.


Alguns erros básicos ainda não cometidos por muitos e-commerces e que podem prejudicar a experiência desse consumidor, criando uma visão deturpada da empresa, prejudicando novos negócios e até mesmo podendo afetar futuros clientes que podem ser influenciados por reclamações e desencorajados à comprar no comércio eletrônico.


1. Separar o online do offline


Muitos e-commerces também possuem lojas físicas e empreendedores que tratam ambos os canais como coisas totalmente diferenciadas. É necessário conectar ambos os meios de comunicação para que a visibilidade e experiência do usuário seja algo unificado, sem que haja mensagens diferentes da mesma empresa atingindo o consumidor de acordo com o meio em que encontra-se.


Adotar estratégias de omnichannel torna-se cada vez mais comum e necessário para que ambos os pontos de contato estejam unidos e conversando entre si. Uma das possibilidades, que já foi aderida por muitos segmentos, é a compra pela internet com opção de retirada diretamente na loja, criando essa experiência conectada entre o mundo real e o virtual.


2. Descartar o maior uso do celular


A compra em e-commerces por celulares e dispositivos móveis têm crescido de modo acelerado, sendo que em 2019 foram registrados R$25,9 bilhões em vendas por aparelhos eletrônicos, grande parcela ao considerar o total de R$61,9 bilhões de faturamento levando em consideração os computadores.


O consumidor deseja aquisições cada vez mais rápidas e onde quer que esteja, utilizando o celular como uma forma ágil e facilitada para realizar suas compras e, assim, o comércio eletrônico deve criar estratégias para atender essa necessidade, criando jornadas diferenciadas para acessos em smartphones, por exemplo, e criando sites responsivos que possam adaptar seus conteúdos e funções perfeitamente para as telas menores de celulares.


O lançamento de aplicativos exclusivos da marca ou e-commerce em questão também são boas opções para melhorar a experiência do consumidor em dispositivos móveis, garantindo usabilidade e até mesmo criando fidelidade do cliente com a marca, podendo ser atingido e relembrado pela empresa por notificações.

Foto reprodução: https://www.bertholdo.com.br/



3. Ignorar o SAC


Um item básico de um comércio eletrônico é possuir um SAC para tirar as dúvidas de seus clientes e atender suas necessidades da melhor maneira possível, porém esse canal é esquecido por muitas empresas que não atuam acima das questões impostas pelos consumidores, sem levar em consideração essa ferramenta de apoio para melhorias no site.


O SAC é um canal valioso, no qual a empresa poderá descobrir as principais dificuldades dos consumidores e propor estratégias ou ações para melhorar ou otimizar alguns pontos falhos nos processos. Observar más experiências relatadas e precaver-se para que não aconteçam com futuros clientes é ideal para antever qualquer desavença ou descontentamento.


Essas informações fazem parte do banco de dados da empresa, gravadas e atendidas por funcionários ou robôs, assim são dados gratuitos que podem ser utilizados a favor do aprimoramento de processos da empresa de maneira fácil e rápida.


4. Padronizar processos e/ou produtos


Atualmente o consumidor está em busca de algo cada vez mais personalizado para si mesmo(a), assim a padronização tanto dos produtos, quanto do site e até mesmo do SAC podem ser erros básicos que proporcionam uma má experiência ao mesmo.


É ideal que haja a personalização do e-commerce, incluindo layout, categorias que podem ser mais indicadas para determinado perfil de pessoa, layouts interativos e inteligentes, visando satisfazer os usuários e aumentando as chances de fidelização.


O simples fato de personalizar uma embalagem, por exemplo, já é uma forma de garantir uma boa experiência ao consumidor. Inserção de cartões, mensagens especiais e até mesmo montagem de pacotes de acordo com os itens mais procurados podem ser boas opções.


Em relação ao SAC, os robôs podem ser utilizados como uma forma de triagem para o atendimento, muitas vezes sanando dúvidas mais básicas, porém uma equipe de atendimento é essencial para garantir o melhor retorno ao cliente fugindo da padronização.


5. Fugir das tendências


Acompanhar os avanços tecnológicos é necessário para garantir uma boa experiência do consumidor, permitindo implantar as novidades que forem cabíveis ao seu negócio e garantir um método de abordagem, venda e finalização da compra da maneira mais inovadora possível, criando diferenciais perante os concorrentes.

Dúvidas